sábado, 23 de dezembro de 2017

RETROSPECTIVA: ASSASSINATOS, EXECUÇÕES E CHACINA MARCARAM 2017 COMO UM ANO SANGRENTO EM SANTA RITA E REGIÃO


O primeiro homicídio teve como vitima Vinicius Viana Pires, morto com requintes de crueldade. O adolescente foi atingido a golpes de facão, próximo a sua residência, localizada na Rua Presidente Figueiredo, Santa Rita. Na época a polícia associou o caso à briga de grupos rivais. 
Após investigações, os autores são identificados, sendo dois menores e dois irmãos que continuam presos aguardando julgamento. 

Outro menor foi morto na comunidade Pedreiras, Santa Rita. O rapaz de 17 anos, com varias passagens pela polícia, consumia drogas em companhia de três menores quando foi surpreendido por disparos de espingarda do tipo bate bucha. 

Também no inicio do ano, um assassinato abalou a zona rural de Bacabeira. Moacir Serejo dos Santos foi morto com um profundo golpe de arma branca, enquanto participava de uma festa de carnaval, na noite de 27 de fevereiro, no povoado Gameleira. Na época, Maria da Luz Silva Serejo, mãe da vítima se mostrou desolada diante da violência que tirou a vida do filho. Meses após o crime a polícia civil de Bacabeira sobre o comando delegado Edinado Santos consegue desvendar o caso com a prisão do principal suspeito, ocorrida no Bairro de Fátima em São Luis. Robson Marques Correa, vulgo “Jobinho”, confessou autoria e disse que agiu em legitima defesa. Essa versão foi contestada pela polícia que de imediato pediu pela preventiva do acusado. 
Com a prisão de “Jobinho” a equipe do Blog Santa Rita em Debate voltou à residência da vítima, no local os familiares comemoraram a ação da polícia. 

Um desentendimento em família tirou a vida de José Raimundo Sales, morto pelo enteado com um tiro de espingarda, fato ocorrido na comunidade Santa Bárbara, Santa Rita. O suspeito teria praticado o crime para proteger a mãe que seria espancada pela vítima. 

Um grupo de bandidos se preparava para assaltar uma agência bancaria na região. Só que não imaginavam que estavam sendo monitorados. Na entrada de Santa Rita trocaram tiros com a polícia, no confronto o elemento identificado por Vanderluz Gomes da Silva, vulgo “Martelo” foi morto a tiros em operação da polícia civil, por intermédio da superintendência estadual de investigações criminais – SEIC, com apoio da polícia militar. Ele fazia parte dos 36 presos que fugiram do sistema prisional em Pedrinhas, na época. O homem tinha extensa ficha criminal por roubo a banco nos estados do Maranhão, Piaui e Tocantins.

Inconsolada a mãe chorou a morte do filho de apenas três anos de idade. Joerbson foi encontrado sem vida após passar mal dentro de sua residência na comunidade Sitio do Meio, Santa Rita. Os pais afirmaram que a criança vinha apresentando problemas de saúde, durante a madrugada observaram que o menor já estava morto. O a polícia militar e Conselho Tutelar do município foram acionados e trataram de encaminhar o corpo para o Instituto Medico Legal na capital. Após 30 dias o resultado do exame constatou que a vítima morreu por Pneumonia aguda. 

Um elemento com extensa fixa criminal foi morto após sair da cadeia. Domingos Silva Pereira foi executado com pelo menos três tiros durante a madrugada, no Bairro Santa Quitéria, Bacabeira. A vítima tinha envolvimento com o trafico de drogas, assalto e tentativa de homicídio. O mesmo disputava o território do trafico no local do crime. A sogra, esposa e filha de Domingos presenciaram o fato. 

Uma troca de tiros terminou com dois suspeitos baleados, sendo que um deles acabou morrendo. O elemento identificado por “Matheus”, morador do Povoado São João da Mata não resistiu a gravidade dos ferimentos após confronto com a polícia, em companhia de um comparsa identificado por “Peito de Aço”, que mesmo ferido conseguiu fugir. Segundo a polícia, os dois seriam integrantes de um grupo envolvido em assaltos e homicídios na região. Na ocasião estariam praticando assaltos em Santa Rita. Ouve um cerco policial próximo ao povoado Outero dos Pires, momento em que a dupla disparou contra a guarnição que revidou. Dias depois “Peito de Aço” foi preso em um hospital da cidade de Anajatuba, durante a madrugada, enquanto buscava atendimento medico. O mesmo havia sido atingido com um tiro no glúteo e outro de raspão na cabeça. O individuo continua recolhido no presídio de Rosário. 

O corpo de Sebastião Rodrigues Pereira foi encontrado por populares as margens da estrada de ferro Carajás. O lavrador seguia para lavoura em sua bicicleta quando foi atingido com um tiro na cabeça, vindo a morrer no local. O homem era tido no lugarejo como uma pessoa pacata a trabalhador, aparentemente sem inimigos. Diante de informações levantadas com depoimentos de testemunhas, a polícia civil de Santa Rita conseguiu prender o principal suspeito, sendo o vizinho da vítima identificado por José Ribamar Santos. Em entrevista, “Zezão como é conhecido negou autoria no assassinato de Sebastião. 

Um pastor natural de Santa Rita foi preso na cidade de Imperatriz por suspeita de assassinar o professor Raimundo Conceição Silva. Segundo informações da polícia o motivo seria um relacionamento amoroso que Roberval Serejo tinha com a esposa da vítima. Câmeras de segurança flagraram o pastor fugindo do local do crime. No mesmo instante, o suspeito lavou as mãos suja de sangue, em uma poça d'água. 

Uma mulher identificada por Ana Paula é a principal suspeita de um crime bárbaro que chocou o Bairro B13 em Santa Rita. Pelo menos 10 facadas foram deferidas contra José Ribamar, conhecido por "Zeca", fato ocorrido dentro de sua residência, já que o mesmo morava sozinho. A vítima de 55 anos ainda foi socorrida por populares, mas morreu ao dar entrada no Hospital Maria Helena Freire. Apesar das evidencias, Ana Paula alegou inocência. 

Diversos crimes com característica de execução foram registrados no decorrer de 2017, a começar pelo assassinato do vereador de Anajatuba Miguel Gogó, morto com três tiros na cabeça enquanto participava de uma festa de aniversario na comunidade Outero dos Pires, Santa Rita, na noite de 15 de maio. Miguel Sampaio Soares morava na localidade São João da mata, foi eleito vereador de Anajatuba nas eleições de 2016 com 534 votos, exercendo seu terceiro mandato. Meses depois uma operação da polícia civil intitulada peixe na rede, com a participação de diversos delegados da Região, conseguiu chegar aos envolvidos na trama. Trata-se de uma família rival a da vitima. 

Um assassinato com os mesmos indícios em curto espaço de tempo tirou a vida de Martinho Domingos dos Reis, morto por vários tiros enquanto trafegava em sua motocicleta por uma estrada de acesso ao povoado Mata dos Pires, Santa Rita. Uma testemunha ocular que estava com a vítima no momento da emboscada ajudou a polícia a identificar os autores. 

O destino de Edvan Cardoso Gonçalves, vulgo “Cabeludo” seria sua propriedade na comunidade Picos, Itapecuru-Mirim. Quando em uma estrada vicinal de acesso ao terreno foi executado com vários tiros. O rosto da vitima ficou deformado devido aos disparos de calibre 12. Na mesma localidade um primo de Edivan por nome Antonio dos Reis Cardoso, conhecido por "Toca" foi morto com 12 tiros em um intervalo de pouco mais de um mês. Autoridades policiais acreditaram que os dois crimes têm a mesma ligação pelas evidências deixadas pelos assassinos. 

Um crime em plena Praça Carlos Macieira em Santa Rita foi registrado na noite de 18 de setembro. Fábio Santos Rodrigues estava sentado em um dos bancos do espaço público quando foi surpreendido a bala. Câmeras de segurança captaram toda ação dos criminosos, mas o caso nunca foi elucidado. 

Antonio Coelho machado, conhecido por "Antonio Baixinho" foi mentor de uma chacina que repercutiu a nível nacional. O caso que segundo a polícia foi praticado por motivo fútil tirou a vida de duas crianças, uma de 11 e outra de 12 anos, além de tentar contra a vida de dois jovens de 15 e 24 anos, ambos moradores da Vila Samara, em São Luis. Erisvan da Silva Costa e Roberto da Luz dos Santos foram mortos com requintes de crueldade. Após ser identificado como autor confesso do duplo assassinato Antonio Baixinho levou a polícia onde os corpos foram enterradas em uma cova rasa, em Campo de Perizes. O suspeito afirmou que foi obrigado a cometer a chacina por vim sofrendo constantes furtos de animais. Após intensa investigação, a polícia civil sob o comando do delegado Ednaldo Santos Prende cinco pessoas da família de Antonio Baixinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe