quinta-feira, 23 de novembro de 2017

CASAMENTO COMUNITÁRIO REÚNE MAIS DE 150 CASAIS EM MORROS

PARA CELEBRAR OS MATRIMÔNIOS FORAM DESIGNADOS SEIS JUÍZES


Mais de 150 casais disseram sim na última quarta-feira, no casamento comunitário, realizado na cidade de Morros. O evento é idealizado pela Procuradoria Geral do Estado, através da comarca de Morros – que compreende aos municípios de Cachoeira grande, Presidente Juscelino e Morros – e tem o apoio da prefeitura municipal de Morros. A última cerimônia de Casamento Comunitário em Morros foi há 4 anos. 

Para celebrar os matrimônios foram designados os juízes Alistelman Mendes Filho (Imperatriz), Ivna Cristina freire (2ª Vara de Santa Luzia), Raphael de Jesus Serra Amorim (Humberto de Campos), e Raphael Leite Guedes (titular da 1ª Vara de Buriticupu), além da juíza diretora do fórum de Morros, Adriana Chaves. 

Durante a solenidade, foram sorteados brindes e o momento marcou a união de casais que há anos esperavam por uma oportunidade como essa. Seu Felipe Costa, que tem 66 anos, é casado com a dona Maria dos Anjos de 64, eles estão juntos há mais de 40 anos e durante o casamento comunitário oficializaram judicialmente a união. “Pra mim é um prazer muito grande receber o apoio de todas as pessoas que estão organizando isso aqui, estou Feliz, casando de verdade. Amo minha esposa!”, disse o seu Felipe, emocionado. A dona Maria acrescentou, “É uma alegria, eu nunca imaginava casar assim, mas casei.” 



Durante a cerimônia, os casais dos três municípios, foram recepcionados pelo prefeito de Morros Sidrack Feitosa, que durante seu discurso lembrou da importância da família e de preservar o casamento. “Morros teve o privilégio de receber este grande evento e preparou isso com muito carinho para a população. Fizemos o dia da noiva, beneficiando cerca de 80 mulheres com serviços de beleza, preparamos toda esta estrutura e ornamentação, por que eles merecem", disse.


O presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, Cleones Cunha, participou da Cerimônia e mais uma vez retificou sobre a lei Maria da Penha, que garante os direitos das mulheres seja em situações de violência física, moral e psicológica. “O matrimônio traz a harmonia da família, com a legalização do casamento. É evidente que você, para viver casado você não precisa casar no civil ou religioso, mas traz uma segurança para a mulher, para o marido e para os filhos. Isso sim é essencial", completou.


PROJETO

Instituído em 1998 pela Corregedoria Geral de Justiça do Maranhão, na gestão do desembargador Jorge Rachid, o “Casamentos Comunitários” é um projeto de cidadania, inclusão e justiça social. Em 2013, o projeto foi reformulado pelo Provimento nº 10/2013, que autorizou a abertura, pelos cartórios, de um livro específico para registro de atos necessários à realização dos “Casamentos Comunitários”. 

A medida possibilitou maior organização dos Cartórios e facilidade ao cidadão em casos de busca pelo registro de casamento.

Assessoria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe