quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

SANTA RITA - MÁRCIO MATADOR É CONDENADO A 14 ANOS DE PRISÃO EM REGIME FECHADO


A justiça condenou a 14 anos e 3 meses de prisão em regime fechado, através de júri popular realizado hoje, 07, na Câmara municipal de Santa Rita, Antonio Márcio da Silva Cardoso, vulgo “Márcio Matador”. Ele foi considerado culpado pela morte de Márcio Adriano Muniz, conhecido por Bigú. 

A sessão foi presidida pelo juiz titular da comarca de Santa Rita, Samir Mohana que leu a sentença por volta das 17h. 


Durante o debate entre acusação e defesa, o ministério público representado pela promotora de justiça Karine Guará, sustentou a tese de que Antonio Márcio foi realmente o autor do crime qualificado, pela comprovação suficiente da materialidade do fato, embora o réu tenha negado a autoria durante o julgamento. 


Após acompanharem de perto todo o processo, com a presença de testemunhas, o corpo de jurados decidiu pela condenação do acusado. 

Narra a denúncia movida pelo ministério público estadual, que por volta das 20h do dia 26 de novembro de 2014, na 2ª travessa da Rua do Sol, o autor dirigiu-se á residência da vitima em uma moto CB 300, cor preta, e aproximando-se da mesma que estava sentada na porta de casa, de costas para Rua, sacou uma arma de fogo e desferiu quatro tiros contra Bigú, a maioria na cabeça, ocasionando sua morte no local. 

Segundo os autos do processo, depois de cometer o crime, o condenado fugiu, sendo capturado pela polícia civil e militar quase uma ano após, no retorno do bairro São Cristovão em São Luis. Tendo sua prisão decretada em 23 de fevereiro de 2015. De onde permaneceu encarcerado no presídio de Rosário até o julgamento. 

Após a decisão, o preso, seguiu algemado em uma viatura, direto para o presídio de Pedrinhas, de onde deve cumprir a pena. 

No próximo dia 13, Antonio Márcio de 28 anos, volta ao banco de réus, para ser julgado contra a morte de Maykon Monteiro Telles, ocorrido dias antes ao assassinato de Bigú. Neste caso, o acusado confessa a autoria do crime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe